HISTÓRIA

 

Motor Diesel

O Dr. Rudolf Diesel desenvolveu o motor Diesel em 1895 com a intenção de que o motor rodasse com uma diversa variedade de óleos vegetais.

Diesel mostrou sua invenção na mostra mundial em Paris, em 1900, usando óleo de amendoim como combustível.

Em 1911 ele disse: "o motor Diesel pode ser alimentado com óleo vegetal e ajudará consideravelmente o desenvolvimento da agricultura dos paises que o usarão".

Quando o Dr. Rudolf Diesel morreu, o motor por ele desenvolvido foi capitalizado pela industria de petróleo que criou um óleo sujo e grosso, mais barato que os outros combustíveis, e o denominou "óleo Diesel". Com o tempo, se esqueceu dos óleos vegetais como uma fonte de combustível.


EVOLUÇÃO HISTÓRICA


Início Século XX: utilização de óleos vegetais em testes nos motores diesel.

Anos 70: declínio de interesse pelo uso dos óleos vegetais motivado pela abundância e baixo custos dos derivados de petróleo.

Nesta mesma década, devido aos dois grandes choques mundiais que elevaram o preço do petróleo, há a retomada pelos testes com óleo vegetal.

Anos 80: Novo declínio de interesse pelos óleos vegetais.

Anos 90: retomada de interesse devido à pressões ambientalistas e a introdução do conceito de Desenvolvimento Sustentável.

Século XXI: Efeito estufa, guerra, desenvolvimento do setor primário e fixação do homem no campo, fazem com que o investimento na pesquisa, produção e divulgação do biodiesel se espalhem por todo o país através de feiras, encontros, seminários, etc.


"O motor Diesel pode ser alimentado com óleos vegetais e poderá ajudar consideravelmente o desenvolvimento da agricultura nos países onde ele funcionar. Isto parece um sonho do futuro, mas eu posso predizer com inteira convicção que esse modo de emprego do motor Diesel pode, num dado tempo, adquirir uma grande importância"

Dr. Rudolph Diesel

1911

 

 

 

O PROCESSO

A molécula de óleo vegetal é formada por três ésteres ligados a uma molécula de glicerina, o que faz dele um triglicídio.

O processo para a transformação do óleo vegetal em biodiesel chama-se TRANSESTERIFICAÇÃO.

Transesterificação nada mais é do que a separação da glicerina do óleo vegetal. Cerca de 20% de uma molécula de óleo vegetal é formada por glicerina. A glicerina torna o óleo mais denso e viscoso. Durante o processo de transesterificação, a glicerina é removida do óleo vegetal, deixando o óleo mais fino e reduzindo a viscosidade.

Para se produzir o biodiesel, os ésteres no óleo vegetal são separados da glicerina. Os ésteres são a base do biodiesel. Durante o processo, a glicerina é substituída pelo álcool, proveniente to etanol ou metanol. Damos preferência ao etanol por ser menos agressivo que o metanol.

Para realizar a quebra da molécula, precisamos de um catalisador, que pode ser o hidróxido de sódio ou hidróxido de potássio. Com a quebra, a glicerina se une a soda caustica (hidróxido de sódio) e decanta (por ser mais pesada que o biodiesel). O éster se liga ao álcool, formando o biodiesel.

A reação do biodiesel ocorre entre um ácido (óleo vegetal) e duas bases (etanol e catalisador). A quantidade de catalisador usada no processo de fabricação do biodiesel irá depender do pH do óleo vegetal. O sucesso da reação depende da capacidade de medir o pH, ou mesmo, da acidez do óleo vegetal.

Algumas considerações importantes:

- a fabrica deve ser limpa e preparada de acordo para se armazenar, transportar e manusear etanol e o biodiesel, seguindo os padrões dos combustíveis inflamáveis;
- a proporção entre catalisador, etanol e óleo vegetal;
- uso adequado de roupas e acessórios de segurança pessoal.

 

 

AS VANTAGENS

 

Por que usar óleo vegetal?

Cada vez mais o preço da gasolina, diesel e derivados de petróleo tendem a subir. A cada ano o consumo aumenta e as reservas diminuem. Além do problema físico, há o problema político: a cada ameaça de guerra ou crise internacional, o preço do barril de petróleo dispara.

O efeito estufa, que deixa nosso planeta mais quente, devido ao aumento de dióxido de carbono na atmosfera (para cada 3,8 litros de gasolina que um automóvel queima, são liberados 10 kg de CO2 na atmosfera). A queima de derivados de petróleo contribui para o aquecimento do clima global por elevar os níveis de CO2 na atmosfera.

 

As vantagens do Biodiesel…

Não há limite para é energia renovável. Há terra cultivável no mundo todo e milhares de espécies de oleaginosas que podem ser usadas na produção do biodiesel.

O biodiesel é constituído de carbono neutro. As plantas capturam todo o CO2 emitido pela queima do biodiesel. As plantas separam o CO2 em Carbono e Oxigênio, neutralizando as emissões de CO2.

O biodiesel contribui ainda para a geração de empregos no setor primário, que no Brasil é de suma importância para o desenvolvimento social e prioridade de nosso atual governo. Com isso, segura o trabalhador no campo, reduzindo o inchaço das grandes cidades e favorecendo o ciclo da economia auto-sustentável essencial para a autonomia do país.

Podemos observar claramente os efeitos positivos da adição do etanol na gasolina. O etanol vem da indústria do álcool, uma industria forte e que faz circular um grande volume de capital, gera empregos e ainda gera dinheiro para o governo através dos impostos, ajudando a reduzir o déficit publico.

Muito dinheiro é gasto para a pesquisa e prospecção do petróleo. Todo esse capital pode ter um fim social melhor para o país, visto que o Biodiesel não requer esse tipo de investimento.

A maior parte dos veículos da industria de transporte e da agricultura usam atualmente o diesel. O biodiesel é uma alternativa muito mais econômica, tendo a vantagem de ser confiável, renovável e fortalecer a economia do país gerando mais empregos.

 

O biodiesel é um ótimo lubrificante e pode aumentar a vida útil do motor. O biodiesel é biodegradável e não tóxico. Tem odor agradável, após sua queima, lembra batatas fritas.

O biodiesel tem risco de explosão baixo. Ele precisa de uma fonte de calor acima de 1500 C para explodir.

Tem fácil transporte e fácil armazenamento, devido ao seu menor risco de explosão.

 

TIPOS DE BIODIESEL

Há três modos de usar óleo vegetal num motor Diesel. Cada método tem suas vantagens e desvantagens.

 

O Biodiesel: é um combustível feito a partir de 80 a 90% de óleo vegetal, 10 a 20% de álcool e 0,35 a 1,5% de catalisador. É um combustível estável, funciona bem em todos os motores Diesel, tem baixa emissão de poluentes, pode ser misturado ao óleo diesel, é fácil de produzir, seguro e sem riscos ao meio ambiente.

O Óleo Vegetal e Querosene: ainda em teste, essa mistura requer cuidado e atenção nas proporções, com resultados inferiores ao Biodiesel. Se mal feito pode causar danos ao motor. Esse método requer um tanque extra no automóvel.

O Óleo Vegetal Puro: tanto o óleo vegetal usado quanto o novo podem ser usados. Esse método requer modificação no motor, pois é preciso aquecer o óleo vegetal para que ele fique com a mesma consistência e viscosidade que o óleo diesel. É preciso um tanque extra e de um trocador de calor.

 


O biodiesel é o que pode substituir o diesel.

 

 

OUTROS USOS DO BIODIESEL

Além de combustível, o biodiesel pode ter inúmeras aplicações:

Pode ser usado em aquecedores, lanternas e fornos;

Como solvente de tintas e adesivos químicos;

Como óleo de limpeza para peças e máquinas;

Lubrificante geral;

Uma alternativa ao petróleo e às suas aplicações.

Fazendo o Biodiesel, você obtêm a glicerina que tem diversos usos, como por exemplo:

 

- Cosméticos: na elaboração de sabonetes, cremes, shampoos, hidratantes etc;

- Fabricação de tintas, vernizes, resinas e lubrificantes;

- Produtos de limpeza: sabão, detergentes, etc.